Banner 13SIMP 1920X360

O mistério do tempo | The mystery of time

Einstein escreveu: «A distinção entre o passado, o presente e o futuro não passa de uma obstinada e persistente ilusão.» Atualmente, a compreensão da natureza do tempo constitui-se como um dos mais importantes desafios científicos e filosóficos. Em conjunto com o espaço, o tempo é uma dimensão fundamental da física. A maioria dos organismos possui mecanismos biológicos sintonizados com a passagem do tempo. Também a existência humana é profundamente influenciada pelo seu inexorável progresso. Sob o tema «Mistério do Tempo», o 13.º Simpósio da Fundação BIAL «Aquém e Além do Cérebro» reúne alguns dos mais importantes cientistas e filósofos da atualidade no que se pretende que seja um diálogo interdisciplinar frutuoso em volta dos muitos aspetos relacionados com o tempo: a sua natureza, que continua a ser debatida pelos físicos; os sentimentos subjetivos que a sua passagem evoca nos seres humanos e noutros animais; e as questões fundamentais a que se encontra associado, tal como o complexo problema da causalidade.

O Simpósio inaugura na noite do dia 1 de abril com uma comunicação do orador TED Anil Seth (Sussex, Reino Unido), que irá falar do que se sabe atualmente sobre a perceção que os seres humanos e as máquinas têm do tempo, destacando a ideia de que o cérebro é uma «máquina de realizar predições».

A primeira sessão terá lugar na manhã de 2 de abril. Com moderação de Etzel Cardeña (Lund, Suécia), a sessão será dedicada à física do tempo. Orfeu Bertolami (Porto, Portugal), Jimena Canales (Urbana-Champaign, EUA), Daniel Sheehan (San Diego, EUA) e Patricia Cyrus (Orlando, EUA) irão explorar como os físicos concebem o tempo na atualidade e como as suas teorias são moldadas por aquilo que sabemos sobre a perceção do tempo. Questões fundamentais e ainda não resolvidas, tais como a possibilidade de precognição ou a natureza da causalidade, serão abordadas durante estes diálogos, que encerrarão com uma conferência de Bernard Carr (Londres, Reino Unido).

A segunda sessão, que terá lugar na manhã de 3 de abril, destina-se a abordar a biologia do tempo. Moderadapor Miguel Castelo-Branco (Coimbra, Portugal), conta com comunicações de Julia Mossbridge (Evanston e São Francisco, EUA), Michael Brecht (Berlim, Alemanha) e Joseph S. Takahashi (Dallas, EUA), que irão examinar o modo como os organismos se adaptaram à passagem do tempo: dos relógios biológicos aos mecanismos da memória, dos «pressentimentos» aos ritmos circadianos, os oradores debruçar-se-ão sobre as muitas formas como os sistemas neuronais respondem ao tempo na ausência de sistemas recetores específicos dedicados à sua perceção. A manhã termina com uma conferência de Wolf Singer (Frankfurt, Alemanha), que irá explorar os tipos de mecanismos que evoluíram para permitir aos organismos vivos “interpretar” o tempo.

A terceira sessão, na manhã de 4 de abril, focar-se-á na experiência do tempo. Caroline Watt (Edimburgo, Reino Unido) será a moderadora das comunicações de Dean Buonomano (Los Angeles, EUA), Daryl Bem (Ithaca, EUA) e Kia Nobre (Oxford, Reino Unido), que irão abordar em que consiste sentir a passagem do tempo, o modo como os cérebros e os corpos influenciam a nossa perceção do mesmo e como os eventos futuros nos podem afetar. A terminar a manhã haverá uma conferência de Marc Wittmann (Friburgo, Alemanha), dedicada às ligações entre o Eu e o tempo.

Não terá tempo livre durante o simpósio, pois as tardes serão preenchidas por diversas atividades: apresentações orais de posters pelos investigadores apoiados pela Fundação BIAL (tarde de 2 de abril, com moderação de Mário Simões); quatro workshops paralelos dedicados a (1) física e metafísica do tempo, (2) precognição e experiências anómalas, (3) experiência do tempo em estados alterados da consciência e (4) perceção e memória do tempo pela memória (tarde de 3 de abril); e, a encerrar, uma conversa sobre o mistério do tempo, moderada pela jornalista de ciência Teresa Firmino, na tarde de 4 de abril.

Com o seu 13.º Simpósio, a Fundação BIAL pretende envolver os oradores e o público numa reflexão aprofundada e interdisciplinar sobre um dos aspetos mais enigmáticos da existência: a dimensão elusiva e inexorável do tempo, cuja verdadeira natureza ainda está longe de ser compreendida.

"O mistério do tempo": Pré-Programa

  • Comissão Organizadora
  • Participantes

Presidente
Axel Cleeremans (Bruxelas)

Etzel Cardeña (Lund)
Miguel Castelo-Branco (Coimbra)
Rui Costa (Nova Iorque e Lisboa)
Rainer Goebel (Maastricht)
Stefan Schmidt (Friburgo)
Caroline Watt (Edimburgo)

 

Daryl Bem (Ithaca, NY)
Orfeu Bertolami (Porto)
Michael Brecht (Berlim)
Dean Buonomano (Los Angeles)
Jimena Canales (Urbana-Champaign)
Etzel Cardeña (Lund)
Bernard Carr (Londres)
Miguel Castelo-Branco (Coimbra)        
Axel Cleeremans (Bruxelas)
Rui Costa (Nova Iorque e Lisboa)
Patricia Cyrus (Orlando)
Teresa Firmino (Lisboa)
Rainer Goebel (Maastricht)
Julia Mossbridge (Evanston e San Francisco)
Kia Nobre (Oxford)      
Stefan Schmidt (Friburgo)
Anil Seth (Sussex)
Daniel Sheehan (San Diego)
Mário Simões (Lisboa)
Wolf Singer (Frankfurt)
Joseph S. Takahashi (Dallas)
Caroline Watt (Edimburgo)
Marc Wittmann (Friburgo)

Os Simpósios

Para que os investigadores apoiados pela Fundação BIAL pudessem ter um espaço alargado de discussão e de apresentação dos seus projetos, a Fundação criou, em 1996, os simpósios "Aquém e Além do Cérebro".

Com periodicidade bianual, estes encontros reúnem os investigadores apoiados pela Fundação BIAL e conceituados investigadores nas áreas das Neurociências e da Parapsicologia.

“Efeitos de placebo, Curas e Meditação”, "Interações mente-matéria", “Sono e Sonho”, “Intuição e Decisão”, “Memória”, “Vivências excepcionais”, “Emoções” ou o mais recente "Potenciar a mente" foram alguns dos temas já analisados nos Simpósios Aquém e Além do Cérebro por conferencistas de renome como: Miguel Castelo-Branco (Coimbra), Axel Cleeremans (Bruxelas), Lorenza Colzato (Leiden), António Damásio (Los Angeles), Hoyt Edge (Flórida), Peter Fenwick (Londres), Eberhard Fetz (Washington), Fernando Gil (Sorbonne), Allan Hobson (Harvard), Jerome Kagan (Harvard), Irving Kirsch (Boston), Stephen Kosslyn (São Francisco), Stephen Laberge (Stanford), Dietrich Lehmann (Zurique), Fernando Lopes da Silva (Amesterdão), Edwin May (Palo Alto), Robert Morris (Edimburgo), Dean Radin (Nevada), Alcino Silva (Los Angeles), Ian Stevenson (Virgínia), e Robert Stickgold (Harvard).

Em 2020, de 1 a 4 de abril, está prevista a realização na Casa do Médico, no Porto, do 13º Simpósio, com o tema central “O Mistério do Tempo”.

Como resultado dos trabalhos desenvolvidos, a Fundação BIAL publica os respetivos livros de Atas dos Simpósios.

Simpósios Anteriores