Notícias

Prof. Maria de Sousa

15 abril, 2020

A Fundação BIAL manifesta profundo pesar pela passagem da Prof. Maria de Sousa, uma figura ímpar da ciência a nível mundial, que marcou de forma incontornável o desenvolvimento científico e académico em Portugal.

A ligação da Prof. Maria de Sousa à Fundação BIAL iniciou-se em 1994, altura em que recebeu o Prémio BIAL pelo trabalho "Contribuição para a Caracterização da Ecologia e da Biologia do Sistema Timo-Dependente: Memórias, Percursos e Esboço de uma nova Teoria". A partir de então a sua relação com a Fundação foi-se intensificando, tendo sido membro do júri do Prémio BIAL em três edições e sua Presidente no ano 2000. Entre 2010 e 2014, assumiu o cargo de administradora da Fundação BIAL, cuja atividade reorganizou, incutindo‑lhe um mais elevado nível de exigência e qualidade.

Exigência e qualidade são palavras que marcam o percurso profissional da Prof. Maria de Sousa nos diversos papéis que assumiu ao longo de toda a sua carreira, enquanto médica, cientista, escritora e professora.

Após terminar a licenciatura, em 1964, a Prof. Maria de Sousa iniciou uma carreira de investigação que passou por Inglaterra, Escócia - onde fez o doutoramento em Imunologia - e Estados Unidos. Regressou a Portugal em 1985 e integrou o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar onde fundou o Mestrado em Imunologia. Enquanto docente e investigadora da Universidade do Porto foi responsável pelo primeiro programa doutoral em Portugal - Programa Graduado em Biologia Básica e Aplicada (GABBA).

Juntamente com o ex-ministro Prof. José Mariano Gago promoveu na Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica (JNICT) uma revolução no sistema de avaliação da ciência em Portugal.

Com grande produção científica, publicou em algumas das mais conceituadas revistas, como a Nature e o Journal of Experimental Medicine. O seu imenso legado científico inspirou e influenciou gerações de investigadores e cientistas em Portugal e no mundo.

Foi distinguida como Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique (1995), Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada (2012) e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada (2016).

Quando, em 2014, por limite de idade a Prof. Maria de Sousa terminou a sua ligação aos órgãos sociais da Fundação BIAL, Luís Portela afirmou “A Prof. Maria de Sousa será sempre uma das nossas…”. Permanece como uma das nossas. Obrigado, Prof. Maria de Sousa